Gaspacho de tomate, physalis e manjericão # Tomato, physalis and basil gazpacho

 

 

O Verão tem um jeito muito próprio de amaciar os dias.

Tenho vindo a aprender a gostar desta estação. Não vivo para vê-la chegar. Eu sou mais de Primaveras e Outonos. Equilíbrio é o que procuro em todas as vertentes da vida, até porque o calor excessivo, praias super lotadas e outros detalhes que a definem não são para mim,  mas ano após ano tenho vindo a valorizar outros aspetos. A luminosidade. A brisa que sustenta todos os perfumes que se soltam com o calor do sol. A pujança doce e colorida das ervas, flores, frutos e árvores.

Este é o meu Verão. A natureza em toda a sua maravilhosa glória. E os frutos que tão generosamente me (nos) dá.

Tomates e physalis. A nossa horta emprestada tem vindo a produzir uma deliciosa colheita. Sabiam que estes dois frutos são, por assim dizer, primos? Sim, os tomates são frutos, não vegetais, tal como os physalis, aquelas bolinhas brilhantes e alaranjadas, carregadas de várias vitaminas do tipo A e vitamina C e com poderes antioxidantes já que são ricas em betacaroteno. Já os tomates não lhes ficam nada atrás em nutrientes super para o corpo. Vitaminas A, B e C, fósforo, cálcio, potássio e magnésio e licopeno, um antioxidante que também faz maravilhas.

Nas últimas semanas tenho comido quantidades copiosas dos dois, especialmente em estado cru, em saladas e em estado liquido, em batidos para o pequeno almoço e gaspachos rápidos, refrescantes e super nutritivos, tal como este que vos ofereço hoje, aqui.

Experimentem e vão ver que é uma das formas mais rápidas e super saborosas de saborear a essência do Verão.

 

In English

Summer has a very own way of softening the days.

I’ve been learning to like this season. I do not live to see it´s arrival. I am more of Spring and Autumn. Balance is what I look for in all aspects of life, even because the excessive heat, overcrowded beaches and other details that define it are not for me, but year after year I have come to appreciate other aspects. The luminosity. The breeze that sustains all the perfumes that are released with the heat of the sun. The sweet and colorful power of herbs, flowers, fruits and trees.

This is my summer. Nature in all its wonderful glory. And the fruits that it so generously give me.

Tomatoes and physalis. Our borrowed vegetable garden has been producing a delicious harvest. Did you know that these two fruits are, so to speak, cousins? Yes, tomatoes are fruits, not vegetables, like physalis, those bright orange balls loaded with various types of vitamins A and vitamin C and with antioxidant powers since they are rich in beta-carotene. Tomatoes are also loaded with super nutrients for the body. Vitamins A, B and C, phosphorus, calcium, potassium and magnesium and lycopene, an antioxidant that also works wonders.

In recent weeks I have eaten copious amounts of the two, especially in the raw state, in salads and liquid state, in shakes, and quick, refreshing and super-nourishing gazpachos, such as the one I offer you here today.

Try it and you will see that it is one of the fastest and super tasty ways to savor the essence of summer.

 

 

 

Ingredientes:

  • 700 g de tomates maduros sem pele nem sementes e cortados em pedaços
  • 200 g de physalis cortados ao meio
  • 3 dentes de alho esmagados
  • 10 folhas grandes de manjericão
  • 200 a 300 ml de água, ou mais se achar necessário
  • Sal a gosto
  • Pimenta preta a gosto

 

Preparação:

  1. Para pelar os tomates faça um corte em cruz no topo de cada um e mergulhe-os por 3 minutos em água fervente.
  2. Deixe arrefecer um pouco e tire a pele que agora deverá sair facilmente.
  3. Coloque todos os ingredientes num liquidificador e triture até que fiquem em puré. Junte mais água se achar necessário.
  4. Retifique os temperos.
  5. Sirva bem frio, como entrada.

 

 

Ingredients:

  • 700 g ripe tomatoes, peeled and desseded, cut into pieces
  • 200 g of physalis cut in half
  • 3 garlic cloves mashed
  • 10 big basil leaves
  • 200 to 300 ml of water
  • Pinch of salt
  • Black pepper to taste

 

Preparation:

  1. To peel the tomatoes make a cross shape cut on top of each one and dip them in boiling water for 3 minutes.
  2. Let it cool a bit and remove the peel will now come out easily.
  3. Put all the ingredients inside a blender and blitz until smooth and velvety, add more water if needed.
  4. Check the seasonings.
  5. Serve cold as a starter.

 

Anúncios

A nossa viagem a Italia 3 e um risotto de espargos e hortelã # Our trip to Italy 3 and an asparagus and mint risotto

 

 

Grosseto casa do maravilhoso ricotta e outros queijos italianos.

A nossa estadia aqui foi curta demais. Chegamos a meio da tarde e no dia seguinte já estávamos de partida para Roma, mas ainda assim houve tempo para aproveitar a Happy Hour de Sábado, com as ruas do centro histórico bem movimentadas e animadas e um jantar super saboroso:

Salada de canónigos, pera, pecorino e nozes

Vitela com molho de atum, que até pode parecer estranho mas que é muito bom! Esta receita é típica do Norte, de Turim mas como não íamos passar lá decidimos prová-la em Grosseto.

E por fim costeletas de cordeiro com alcachofras fritas.

Na manhã seguinte voltamos à estrada, a caminho de Roma pela costa de  Maremma, onde eu sabia que havia gemas paisagísticas escondidas mas para encontrá-las era preciso sair do percurso normal e aventurarmo-nos pelas estradas desertas de terra batida que serpenteiam as praias e montes, e apesar do dia estar cinzento, a beleza daquela costa não esmoreceu. A água azul turquesa e cristalina. O verde das encostas, por vezes selvagens e por vezes um pouco mais urbanizadas com moradias de veraneio e jardins lindíssimos. Vimos recantos inesquecíveis enquanto seguíamos viagem e ao fim da tarde chegámos no nosso último destino: Roma.

Percorrer parte de Itália, pisar neste território pela primeira vez, estar em lugares onde nunca tinha estado foi sentir a par dessa estranheza boa uma familiaridade que por algumas vezes me desarmou. Um misto de excitação e nostalgia. Mas em nenhum outro lugar isso foi tão evidente quanto em Florença e ainda mais em Roma.

Roma…

Quando olhei a cidade do “lado de cá” do rio Tibre, em Trastevere, foi amor à primeira vista. Roma é uma cidade absolutamente deslumbrante. A beleza clássica. As cores quentes. A arte. A riqueza histórica. Também é super lotada e barulhenta, mas tudo isso são detalhes que se perdem no cenário maior.

Nos dois dias que lá estivemos tomámo-la de assalto e derretemos quilómetros pelas ruas, ruelas, praças e avenidas da cidade, para no fim de cada dia voltarmos a Trastevere, exaustos, para jantar e descansar. Visitámos o mercado de Campo de Fiori, monumentos e ruínas, caminhamos na Via Sacra do Forum e subimos o Monte Palatino. E ainda assim ficou tanto, mas tanto por ver.

Itália para mim vai ficar sempre guardada no arquivo das “Viagens de uma vida”. Paisagens lindas. Pessoas afáveis. Comida maravilhosa. Não sei que outras viagens estarão por vir, até porque há muito mundo para conhecer mas esta foi extraordinária. E ainda agora, ao voltar a estes lugares através de imagens e palavras, volto a sentir a familiaridade nostálgica à flor da pele. Não há como negar. Um pedaço deste país ficou para sempre comigo.

Links:

Grosseto:

B&B Warm up Grosseto

Ristorante Canapone

Roma:

Ristorante Da Giovanna

Ristorante Campo de Fiori

Spice and Wine Bistro

Ristorante Tulipano Nero

 

 

In English

Grosseto home of wonderful ricotta and other beautiful italian cheeses.

Our stay here was too short. We arrived mid-afternoon and the next day we were leaving for Rome, but there was still time to enjoy Saturday´s Happy Hour, with the streets of the historic center crowded and lively and a super tasty dinner:

Lamb´s lettuce, pear, pecorino and walnuts salad

Veal with tuna sauce, which may seem strange but that is really very good! This recipe is typical of the North of Turin but as we were not going to pass there we decided to try it in Grosseto.

And finally lamb chops with fried artichokes.

The next morning we returned to the road on our way to Rome along the coast of Maremma, where I knew that there were hidden landscape gems  but to find them we had to leave the normal route and venture along the deserted dirt roads that meander the beaches and hills, and although the day was gray, the beauty of that coast did not fade. The turquoise, crystal clear blue water. The green of the slopes, sometimes wild and sometimes slightly more urbanized, with summer villas and beautiful gardens. We saw unforgettable sights as we continued our journey and in the late afternoon we arrived at our last destination: Rome.

Rome…

To go through part of Italy, to tread in this territory for the first time, to be in places where I had never been before was to feel at the same time a good strangeness but also a familiarity that sometimes desarmed me. A mix of excitement and nostalgia. But nowhere was this more evident than in Florence and even more so in Rome.

When I saw part of the city for the first time, I was on the “here side” of the Tiber, still in Trastevere and it was love at first sight. Rome is an absolutely stunning city. The classic beauty. The warm colors. The art. Historical wealth. It is also super crowded and noisy but all these are details that get lost in the bigger picture.

On the two days that we were there we took it by storm and melted kilometers through the streets, alleys, squares and avenues of the city, so that at the end of each day we would return to Trastevere, exhausted, for dinner and rest. We visited monuments and ruins, walked in the Via Sacra of the Forum and climbed Mount Palatine. And yet there was so much, but so much more to see.

Italy for me will always be stored in the archive of “Trips of a lifetime”. I do not know what other trips are coming, because there is a lot of world to know but this one was extraordinary. Beautiful landscapes. Affable people. Wonderful food. I do not know that other trips are coming, because there is a lot of world to know but this one was extraordinary. And even now, when I return to these places through images and words, I feel the nostalgic familiarity at the surface of my skin again. There is no denying it. A piece of this country stayed with me forever.

Grosseto:

B&B Warm up Grosseto

Ristorante Canapone

Rome:

Ristorante Da Giovanna

Ristorante Campo de Fiori

Spice and Wine Bistro

Ristorante Tulipano Nero

 

Grosseto

Maremma`s coast

 

 

Roma

 

Ingredientes: 2 pessoas

  • 1 molho de espargos + 1 lt de caldo de vegetais
  • 160 g de arroz Carnaroli ou Arborio
  • 1 cebola pequena finamente picada
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 5 folhas grandes de hortelã
  • Sal a gosto
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal
  • Parmesão ralado a gosto

 

Preparação:

  1. Coza os espargos no caldo com as folhas de hortelã, em lume médio baixo e com o tacho quase tapado até que fiquem tenros.
  2. Deixe arrefecer e triture tudo num liquidificador e leve ao lume novamente. Mantenha o caldo quente em lume baixo.
  3. Refogue a cebola no azeite quente e assim que ficar transparente junte o arroz e mexa por 1 ou 2 minutos.
  4. Mantenha o lume médio e comece a juntar o caldo, uma concha de sopa de cada vez. Mexa e deixe o arroz absorver todo o líquido antes de voltar a juntar nova concha de caldo.
  5. Continue assim até que o arroz fique al dente e cremoso, cerca de 17 a 20 minutos.
  6. Retifique o sal, tendo em conta que o parmesão é bastante salgado.
  7. Espere 1 ou 2 minutos para que o arroz continue a libertar o amido e então junte a manteiga e parmesão ralado e mexa vigorosamente até que fiquem incorporados.
  8. Sirva de imediato, com um fio de azeite e mais queijo se gostar.

 

Ingredients: serves 2 

  • 1 bunch of asparagus + 1 lt vegetable broth
  • 160 g of Carnaroli or Arborio rice
  • 1 small onion finely chopped
  • 2 tablespoons olive oil + for drizzling
  • 5 large leaves of mint
  • Salt to taste
  • 1 tablespoon unsalted butter
  • Grated parmesan to taste

 

Preparation:

  1. Cook the asparagus in the broth with the mint leaves, on medium low heat and with the pan almost covered until they are tender.
  2. Let it cool and blitz everything in a blender and bring to the boil again. Keep the hot broth on low heat.
  3. Sauté the onion in the hot oil and as soon as it is transparent, add the rice and stir for 1 or 2 minutes.
  4. Keep the pan in medium heat and start to add the broth, one soup spoon at a time. Stir and let the rice soak in all the liquid before adding a new spoon of broth.
  5. Continue this way until the rice is al dente and creamy, about 17 to 20 minutes.
  6. Season with salt to taste, keeping in mind that the parmesan is already salty.
  7. Wait 1 or 2 minutes for the rice to continue releasing the starch and then add the butter and grated parmesan and stir vigorously until it is incorporated.
  8. Serve immediately with a drizzle of olive oil and more cheese if you like.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Endivias assadas com creme de ricotta, pinhões e segurelha # Roasted endives with ricotta, pine nuts and savory cream

 

Eu e as endivias fomos apresentadas há já alguns anos, tanto eu como elas em estado cru, e a verdade é que não foi um primeiro encontro feliz, já que à parte dos grelos, nabiças e da couve galega, entre mim e as restantes folhas amargas não se vislumbram grandes afinidades. Mas tempos depois, quando eu já as tinha esquecido, um trabalho fotográfico trouxe-as novamente até mim. E ainda que sem qualquer interesse em voltar a degustar o crocante amargo daquelas folhas tenras, eu cortei-as ao meio, salpiquei-as com azeite, sal e pimenta e assei-as até à redençaõ. E aí tudo mudou. O crocante amargo deu lugar a uma doçura macia que nos reconciliou ali mesmo, entre camadas e camadas de sabor delicadamente terroso.

O tempo passou e com ele fui-lhes conhecendo as manhas, os timbres no palato, segui-lhes o rasto até outros sabores que as complementariam na perfeição. Misturei o carácter dos pinhões e da segurelha e a suavidade leitosa do ricotta que juntos se tornaram a colherada cremosa e perfeita para as delicadas folhas, et voilá, assim de seguiu uma das melhores entradas que saíram desta cozinha.

 

In English

Me and the endives were presented some years ago, both me and them in an uncooked state, and the truth is that it was not a happy first meeting, since apart from the rapini, turnip greens and the Galician cabbage, between me and the remaining bitter leaves no great affinities are envisaged. But some time later, when I had forgotten them, a photographic work brought them back to me. And though I had no interest in tasting the bitter crispiness of those tender leaves, I cut them in half, sprinkled them with olive oil, salt and pepper, and roast them until redemption. And then everything changed. The bitter crunch gave way to soft sweetness Which reconciled us right there, between layers and layers of delicately earthy taste.

Time passed and with it I ended up knowing it´s tricks, it´s timbres on the palate, followed it´s trail to other flavors that would complement them perfectly. I mixed the character of the pine nuts and savory and the milky mildness of the ricotta that together became the creamy, perfect spoonful for it´s delicate leaves, et voilá, one of the best starters that ever came out of this kitchen.

 

 

 

Se preferir pode fazer o creme de ricotta com 2 dias de antecedência e guardar no frio em caixa hermeticamente fechada. Tire do frio para que esteja à temperatura ambiente na altura de servir.

Estas endivias podem ser servidas mornas e até mesmo frias. São ótimas das duas formas.

Ingredientes: 4 pessoas

  • 4 endivias roxas
  • 200 g de ricotta
  • 40 g de pinhões
  • 2 colheres de sopa de segurelha
  • 1 colher de sopa de azeite de boa qualidade (7% de acidez ou menos) + um pouco para regar as endivias
  • Sal a gosto
  • Pimenta preta a gosto

 

Preparação:

  1. Pré aqueça o forno a 190º, marca 5 do fogão a gás.
  2. Lave as endivias e corte-as ao meio, de alto a baixo, coloque-as numa assadeira, regue com um pouco de azeite, tempere com sal e pimenta preta a gosto e leve ao forno por aprox. 15 minutos, ou até que ao espetar um garfo no talo este esteja tenro.
  3. Num liquidificador coloque o ricotta, a colher de sopa de azeite, os pinhões e a segurelha. Triture tudo mas sem desfazer demasiado, fica bom com os pinhões apenas aos pedaços.
  4. Tire as endivias do forno, deixe amornar e sirva com o creme de ricotta por cima, pinhões, umas folhinhas de segurelha e uns salpicos de azeite.

 

 

If you prefer you can make the ricotta cream up to 2 days in advance and store in the cold in a tightly sealed box. Remove from the cold so it is at room temperature when serving.

These endives can be served warm and even cold. They are great in both ways.

Ingredients: serves 4

  • 4 purple endives
  • 200 g ricotta
  • 40 g pine nuts
  • 2 tbsp savory leaves
  • 1 tbsp good olive oil (7% acidity or less) + a bit more to drizzle over the endives
  • Salt to taste
  • Back pepper to taste

Preparation:

  1. Preheat the oven to 190º, 375F, gas mark 5.
  2. Cut the endives in half lengthwise and place them in a baking tray. Drizzle with a bit of olive oil and season with salt and pepper to taste. Roast for aprox. 15 minutes or until tender, you can prick a fork in the stalk to see if they are ready.
  3. Place the ricotta, pine nuts, savory and olive oil inside a blender and blitz but try to leave some pine nuts pieces.
  4. Remove the endives from the oven, let them cool until just warm and serve them with the ricotta cream on top, a drizzle of olive oil and a few savory leaves and pine nuts.