Cocktail de gin, xarope de rosas, framboesas e manjericão # Gin, rose syrup, raspberries and basil cocktail

 

 

Costa da Morte. O nome pesa, custa a pronunciar, até mesmo a escrever e está bem longe de ser sinónimo de idílio paradisíaco, no entanto em Agosto de 2016 quando a percorremos a pé por vários dias, eu estava longe de imaginar a beleza selvagem, escondida por entre aqueles baixios pedregosos e escarpas que ao longo dos tempos, em dias de vento Norte e tempestade reclamaram barcos sem conta para si.

Descobrimos kms de costa, com praias grandes e pequenas, quase desertas (algumas mesmo desertas) todas de areia branca e fina, de um lado o mar azul turquesa e cristalino e do lado oposto florestas e pinhais num cenário natural que eu nunca associaria ao agreste, extremo norte de Espanha. Foi como descobrir um paraíso perdido no mais improvável dos territórios. Ali, assim, em pleno auge do Verão. E também ali decidimos que no ano seguinte estaríamos de volta.

Voltámos. Há duas semanas atrás. Mais uma vez em Agosto. Mais uma vez o enamoramento. A mesma areia branca e fina, a mesma água azul, cristalina e amena. A mesma tranquilidade rara num cenário tão bonito.

Foi por terras galegas que nos despedimos oficialmente deste Verão. E quando vimos mais uma vez o por do sol no Farol de Finisterra, a imensidão da linha atlântica no horizonte aberto parecia ter condensado em si todos os lugares e caminhos que já trilhámos pela Galiza. Todas as experiências conquistadas durante anos de caminhadas.

A elas e ao que me acrescentaram eu ergo o meu copo, de gin aromatizado com rosas, framboesas e manjericão. A beleza imperfeita e mistério da vida vistos através de um copo pintado de rosa.

 

 

In English

Coast of Death. The name weighs, it costs to pronounce, even to write and is far from being synonymous of paradisiac idyll, nevertheless in August of 2016 when we hiked it for several days, I was far from imagining the wild beauty, hidden between those stony shallows and cliffs that over time, on days of storm and north wind have claimed boats without account.

We discovered kms of coast, with large and small beaches, almost deserted (some totally deserted) all of fine, white sand, on one side the turquoise and crystalline sea and on the opposite side forests and pine forests in a natural scenery that I would never associate with the rough, extreme north of Spain. It was like discovering a paradise lost in the most unlikely of territories. There, like so, in the height of summer. And also there we decided that the following year we would be back.

We went back. Two weeks ago. One more time in August. Once again we fell in love. The same fine white sand, the same blue, crystal clear water. The same rare tranquility in such a beautiful scenery.

It was on the Galician lands that we officially said goodbye to this summer. And when we saw the sunset again at the Lighthouse of Finisterra, the vastness of the Atlantic line on the open horizon seemed to have condensed into itself all the places and paths we have already hiked through Galicia. All the experiences conquered during years of hiking.

To them and to what they have added me I raise my glass, of gin flavored with sweet roses, raspberries and basil. Lifes imperfect beauty and mistery seen through a rose colored glass.

 

 

 

Ingredientes:

Xarope de rosas:

  • 200 ml de água
  • 200 g de açúcar branco
  • 2 colheres de sopa de pétalas de rosa secas (comestíveis)

Para cada cocktail:

  • 2 partes de gin
  • 1 parte de xarope de rosas
  • 5 framboesas
  • Folhas de manjericão
  • Cubos de gelo a gosto

 

Preparação:

  1. Leve o açúcar com a água e as pétalas de rosa secas ao lume e deixe ferver alguns minutos até dissolver o açúcar.
  2. Tire do lume e deixe arrefecer totalmente.
  3. Para cada cocktail misture 2 partes de gin com 1 parte de xarope, as framboesas e folhas de manjericão.
  4. Sirva com gelo a gosto.

 

Ingredients:

rose simple syrup:

  • 200 ml water
  • 200 g caster sugar
  • 2 tbsp dried rose petals

For each cocktail:

  • 2 parts gin
  • 1 part rose syrup
  • 5 raspberries
  • Basil leaves
  • Ice cubes to taste

 

Preparation:

  1. Put the sugar, water and rose petals in a small saucepan and take to the heat. Let it boil for a few minutes until the sugar dissolves.
  2. Remove from the heat and let it cool completely.
  3. For each cocktail add 2 parts of gin, 1 part of rose syrup, the raspberries and basil leaves.
  4. Serve with ice cubes to taste.

 

Anúncios

Smoothie de manga, gengibre, laranja e cidreira # Mango, ginger, orange and lemon balm smoothie

Um mundo perfeito, idealizado passo a passo, onde todas as manhãs seriam coroadas com pequenos almoços pantagruélicos. Uma mesa linda. Toalha branca, imaculada. Copos, pratos, talheres, flores frescas. Cortinas de linho esvoaçantes. Os pássaros a chilrearem ao longe.  O pacote completo. Tudo bonito, leve, intocado. Nesse mundo perfeito eu, tal qual uma “Stepford Wife” deslizaria entre a cozinha e a mesa como o mais puro éter, sempre no meu melhor, sem uma pestana fora do lugar… mas…
O meu mundo é outra história. Apesar de ser uma pessoa que gosta das manhãs, que sou, ao acordar as olheiras nunca me poupam e nunca paro para contar as pestanas. A verdade é que nos dias da semana, mais do que fantasia ou romantismo o que eu preciso é de rapidez, necessária para enfrentar os horários impostos. Deslizar como éter seria sem dúvida um super poder mais que bem vindo mas o melhor que consigo fazer é evitar tropeçar em mim mesma. Dito isto, aqui em casa desde que adotamos os pequenos almoços rápidos/nutritivos/líquidos e polposos nunca mais olhamos para trás.
Enquanto em território de sumos, batidos e smoothies os dois últimos são o meu “pedaço de chão”. São mais encorpados e com a vantagem de aproveitarem sumo + fibras que é como quem diz: Nada se perde, tudo se transforma. Não obedecem a uma ciência exata, muito menos exigem uma técnica especial. É só ir com a corrente, escolhendo os ingredientes que mais se gosta e ajustando os níveis de doçura/ acidez. Cá em casa é a forma mais rápida e eficaz de produzir um pequeno almoço rico e nutritivo durante a semana de trabalho.
E este com sabor tropical de manga, gengibre, laranja e cidreira é mais um dos nossos preferidos!
Entretanto o livro e eu temos andamos por outras paragens. Vejam abaixo:
Quero também dizer-vos que vou estar na Feira do Livro de Lisboa no dia 10 de Junho pelas 16:00, para uma sessão de autógrafos.
Vou gostar imenso de ver-vos lá! Mas entretanto ainda falámos!!
In English
 
A perfect world, created step by step, where every morning would be crowned with breakfast feasts. A beautiful table. White, immaculate towel. Glasses, dishes, silverware, fresh flowers. Fluttering linen curtains. Birds singing at the distance. The whole package. Everything pretty, light, untouched. In this perfect world I, like a “Stepford Wife” would slide as the purest ether between the kitchen and the table, always at my best, without an eyelash out of place… but…
My world is a different storie. Despite being a morning person, that I certainly am, dark circles never spare me and I never stop to count my lashes. The truth is that during the week days, more than fantasy and romanticism what I need is speed, necessary to meet the schedules. Slipping as ether would undoubtedly be a super power more than welcome, but the best I can do is avoid tripping over myself. That said, here at home since we adopted quick/nutritious/pulpy/liquid breakfasts we never looked back.
While on juices, smoothies and shakes territory, I must say that the last two are my “backyard”. They are more full bodied and have the advantage of using up juice + fibers which is the same as saying: Nothing is lost, everything is transformed. They don´t obey to an exact science, much less require a special technique. You just have to go with the flow, choosing the ingredients you like the most and adjusting the levels of sweetness/acidity
Here at home IS the most quick and effective way to produce a rich and nutritious breakfast during the working week.
And this one with tropical flavor of mango, ginger, orange and lemon balm is another one of our favorites!
In the meantime I leave you here:
This feature. Thank you Sapo Lifestyle!
This interview. Thank you  Máxima Magazine!
I will also be at the Lisbon Book Fair by June 10th at 16:00, for my book signing.
I would love to meet you there! But I´ll get back to you all before that.

Ingredientes: faz cerca de 600 ml de smoothie

  • 220 g de manga (sem casca nem caroço)
  • 120 g de iogurte natural (1 iogurte)
  • Sumo de 2 laranjas pequenas, ou 1 grande
  • 1 colher de chá rasa de gengibre ralado
  • 4 folhas médias de cidreira
  • 6 cubos de gelo

 

Preparação:

  1. Ao cortar a manga guarde os sucos que vão caindo.
  2. Junte todos os ingredientes no liquidificador e triture até ficar macio.
  3. Sirva decorado com folhinhas de cidreira.

 

Ingredients: makes about 600 ml of smoothie

  • 220 g mango (without peel or pit)
  • 120 g plain yogurt
  • Juice of 2 small oranges or 1 big
  • 1 tsp minced ginger
  • 4 medium lemon balm leaves
  • 6 ice cubes

Preparation:

  1. As you cut the mango keep the dropping juices.
  2. Put all the ingredients inside a blender and blitz until smooth.
  3. Serve the smoothies with tiny lemon balm leaves.

Mojitos de nectarina e segurelha # Nectarine and savory mojitos

Dizem-me que Agosto está aí, já ao virar da esquina. É mesmo? Esta coisa do tempo passar cada vez mais rápido vira-me do avesso. Mas no embalo deste Verão tímido tudo lá vai encaixando nos devidos lugares. O trabalho fotográfico tem sido uma constante, com a satisfação inerente a quem faz o que gosta  de paixão e o cansaço intrínseco de fazê-lo sem delegar uma parte que seja a terceiros. Para já ainda sigo em modo “One woman show”, a resistir bravamente à tomada de decisão de procurar uma assistente, vamos ver até quando! E foi precisamente em trabalho que no início da semana passada percorri Trás os Montes durante três dias, a  fotografar para um projeto recém nascido que ainda vai levar meses até ser apresentado ao mundo. Mas cada coisa a seu tempo…

Muitas vezes perguntam-me o que é exatamente esta coisa de ser fotógrafa de comida e food stylist. Esta coisa que vai muito além do conhecimento técnico por trás de cada click. Que tem muito de trabalho físico, de sentido estético e mesmo de arte plástica. Quando respondo a reação é unânime e a pergunta sai pronta, disparada por entre ondas de espanto. “Cozinhar, estilizar e fotografar? E fazes isso tudo sozinha?…” Yep! E não nos esqueçamos dos prazos a cumprir,  das receitas a planear, das compras a fazer, das bagunças a arrumar.  Mas adoro cada pedacinho de trabalho árduo. E embora goste imenso de fotografar qualquer tipo de objeto, é a soma destes três ofícios que realmente me espicaça e dilata a imaginação. Também me perguntam muito se como tudo o que fotografo, mas isso é outra história 🙂

Entretanto e embora por vezes não pareça, o Verão está mesmo aqui e trabalhar entre casa e o estúdio com um jardim pelo meio,  tende a pedir fins de tarde com um copo de algo refrescante na mão e se possível com um coice de algo mais forte, digamos alcoól. Esta é a história básica destes mojitos. Juntou-se a fruta do momento cá em casa – nectarina – com segurelha do jardim (parece-me que por estes dias ponho segurelha em quase tudo o que se cozinha por aqui) lima e rum branco, um pouco de açúcar e muito gelo e foi só começar a abrandar o ritmo, por momentos fiz-me senhora do tempo e deixei-me ficar assim…
Até que tudo começou de novo.

 

In English
They tell me that August is right there, just around the corner. Really? This thing of time going by faster and faster turns me inside out. But on the swing of this shy Summer, everything ends up fitting into place. The photographic work has been a constant with the inherent satisfaction in who does what one likes with passion and the intrinsic tiredness of doing it without delegating a part of any kind to third parties. For now I´m still in “one woman show” mode, bravely resisting the decision making of looking for an assistant, let´s see for how long! And it was precisely work that led me to Trás os Montes for three days last week, to shoot for a new born project that will still take months to be presented to the world. But everything at it´s due time…

People often ask me what is this thing of being a food photographer and food stylist. This thing that goes far beyond the technical knowledge behind every click. That has a lot of physical work, aesthetic sence and even of plastic arts. When I answer the reaction is unanimous and the question is out ready and quick, shot through waves of astonishment. “Cooking, styling and photographing? And you do it all by yourself?” Yep! And let us not forget the deadlines to meet, the recipes to choose, the shopping to do, the mess to clean up. But I enjoy every bit of hard work. And although I love to shoot any type of object, is the sum of these three crafts that really goad me and dilates my imagination. People also ask me a lot if I eat everything I photograph, but that´s another story 🙂

However and although sometimes it doesn´t look like so, Summer is really here and working between home and the studio with a garden in the middle, tends to ask for late afternoons with a glass of something refreshing in hand, if possible with a kick of something stronger, like alchool. This is the basic story of these mojitos. Joined the fruit of the moment here at home – nectarines – with savory from the garden (It looks like I put savory in almost everything I cook these days) lime and white rum, a little bit of sugar, and lots of ice and then I just started to unwind, I made myself the owner of the time and let me be so…
Until it all started once again.

 

Ingredientes: 3 mojitos

  • 300 g de nectarina sem casca ou caroço, cortada em pedaços
  • 1 dl de água
  • 3 gomos de lima cortados ao meio
  • 3 dl de rum branco
  • 3 colheres de sopa de açúcar (ou a gosto)
  • 36 folhinhas de segurelha
  • Gelo (picado ou em cubos)

Preparação: 

  1. Coloque as 300 g de nectarina e 1 dl de água num liquidificador e triture até obter uma polpa.
  2. Em cada copo coloque 1 gomo de lima cortado ao meio, 1 colher de sopa de açúcar (ou mais se preferir) e 12 folhas de segurelha, esmague estes ingredientes em conjunto até a lima libertar o sumo e a fragrância da casca e a segurelha libertar o seu sabor, eu uso o pistilo do meu almofariz. Não coe a misture, deixe como está.
  3. Junte depois 1,2 dl de polpa de nectarina, 1 dl de rum, mexa e complete com gelo até cima.
  4. Beba, numa tarde ou noite quente de Verão 🙂

Ingredients: makes 3 mojitos

  • 300 g of nectarine peeled and cut into pieces
  • 100 ml water
  • 3 quarters of a lime cut in half
  • 100 ml white rum
  • 3 tbs caster sugar
  • 36 savory leaves
  • Crushed ice, or ice cubes

Preparation:

  1. Put the pieces of nectarine and the 100 ml of water inside a blender and blitz into a pulp.
  2. In each glass put 1 slice of lime cut in half, 12 savory leaves and 1 tbs of sugar (more if you prefer), crush these ingredients together until the lime releases its juices and the fragrance of the peel and the savory releases its flavor, I use a pestel for this.
  3. Add 120 ml of nectarine pulp, 100 ml of white rum, mix and complete with ice to the top.
  4. Drink, on a hot Summer night or afternoon 🙂