Mojitos de nectarina e segurelha # Nectarine and savory mojitos

Dizem-me que Agosto está aí, já ao virar da esquina. É mesmo? Esta coisa do tempo passar cada vez mais rápido vira-me do avesso. Mas no embalo deste Verão tímido tudo lá vai encaixando nos devidos lugares. O trabalho fotográfico tem sido uma constante, com a satisfação inerente a quem faz o que gosta  de paixão e o cansaço intrínseco de fazê-lo sem delegar uma parte que seja a terceiros. Para já ainda sigo em modo “One woman show”, a resistir bravamente à tomada de decisão de procurar uma assistente, vamos ver até quando! E foi precisamente em trabalho que no início da semana passada percorri Trás os Montes durante três dias, a  fotografar para um projeto recém nascido que ainda vai levar meses até ser apresentado ao mundo. Mas cada coisa a seu tempo…

Muitas vezes perguntam-me o que é exatamente esta coisa de ser fotógrafa de comida e food stylist. Esta coisa que vai muito além do conhecimento técnico por trás de cada click. Que tem muito de trabalho físico, de sentido estético e mesmo de arte plástica. Quando respondo a reação é unânime e a pergunta sai pronta, disparada por entre ondas de espanto. “Cozinhar, estilizar e fotografar? E fazes isso tudo sozinha?…” Yep! E não nos esqueçamos dos prazos a cumprir,  das receitas a planear, das compras a fazer, das bagunças a arrumar.  Mas adoro cada pedacinho de trabalho árduo. E embora goste imenso de fotografar qualquer tipo de objeto, é a soma destes três ofícios que realmente me espicaça e dilata a imaginação. Também me perguntam muito se como tudo o que fotografo, mas isso é outra história 🙂

Entretanto e embora por vezes não pareça, o Verão está mesmo aqui e trabalhar entre casa e o estúdio com um jardim pelo meio,  tende a pedir fins de tarde com um copo de algo refrescante na mão e se possível com um coice de algo mais forte, digamos alcoól. Esta é a história básica destes mojitos. Juntou-se a fruta do momento cá em casa – nectarina – com segurelha do jardim (parece-me que por estes dias ponho segurelha em quase tudo o que se cozinha por aqui) lima e rum branco, um pouco de açúcar e muito gelo e foi só começar a abrandar o ritmo, por momentos fiz-me senhora do tempo e deixei-me ficar assim…
Até que tudo começou de novo.

In English
They tell me that August is right there, just around the corner. Really? This thing of time going by faster and faster turns me inside out. But on the swing of this shy Summer, everything ends up fitting into place. The photographic work has been a constant with the inherent satisfaction in who does what one likes with passion and the intrinsic tiredness of doing it without delegating a part of any kind to third parties. For now I´m still in “one woman show” mode, bravely resisting the decision making of looking for an assistant, let´s see for how long! And it was precisely work that led me to Trás os Montes for three days last week, to shoot for a new born project that will still take months to be presented to the world. But everything at it´s due time…

People often ask me what is this thing of being a food photographer and food stylist. This thing that goes far beyond the technical knowledge behind every click. That has a lot of physical work, aesthetic sence and even of plastic arts. When I answer the reaction is unanimous and the question is out ready and quick, shot through waves of astonishment. “Cooking, styling and photographing? And you do it all by yourself?” Yep! And let us not forget the deadlines to meet, the recipes to choose, the shopping to do, the mess to clean up. But I enjoy every bit of hard work. And although I love to shoot any type of object, is the sum of these three crafts that really goad me and dilates my imagination. People also ask me a lot if I eat everything I photograph, but that´s another story 🙂

However and although sometimes it doesn´t look like so, Summer is really here and working between home and the studio with a garden in the middle, tends to ask for late afternoons with a glass of something refreshing in hand, if possible with a kick of something stronger, like alchool. This is the basic story of these mojitos. Joined the fruit of the moment here at home – nectarines – with savory from the garden (It looks like I put savory in almost everything I cook these days) lime and white rum, a little bit of sugar, and lots of ice and then I just started to unwind, I made myself the owner of the time and let me be so…
Until it all started once again.

 

Ingredientes: 3 mojitos
300 g de nectarina sem casca ou caroço, cortada em pedaços
1 dl de água
3 gomos de lima cortados ao meio
3 dl de rum branco
3 colheres de sopa de açúcar (ou a gosto)
36 folhinhas de segurelha
Gelo (picado ou em cubos)

Preparação: 
*Coloque as 300 g de nectarina e 1 dl de água num liquidificador e triture até obter uma polpa.
*Em cada copo coloque 1 gomo de lima cortado ao meio, 1 colher de sopa de açúcar (ou mais se preferir) e 12 folhas de segurelha, esmague estes ingredientes em conjunto até a lima libertar o sumo e a fragrância da casca e a segurelha libertar o seu sabor, eu uso o pistilo do meu almofariz. Não coe a misture, deixe como está.
*Junte depois 1,2 dl de polpa de nectarina, 1 dl de rum, mexa e complete com gelo até cima.
* Beba, numa tarde ou noite quente de Verão 🙂

Ingredients: makes 3 mojitos
300 g of nectarine peeled and cut into pieces
100 ml water
3 quarters of a lime cut in half
100 ml white rum
3 tbs caster sugar
36 savory leaves
Crushed ice, or ice cubes

Preparation:
*Put the pieces of nectarine and the 100 ml of water inside a blender and blitz into a pulp.
*In each glass put 1 slice of lime cut in half, 12 savory leaves and 1 tbs of sugar (more if you prefer), crush these ingredients together until the lime releases its juices and the fragrance of the peel and the savory releases its flavor, I use a pestel for this.
*Add 120 ml of nectarine pulp, 100 ml of white rum, mix and complete with ice to the top.
*Drink, on a hot Summer night or afternoon 🙂

 

Sangria -The call of Summer

O nosso Agosto tem sido feito de natureza verde e de caminhadas, na doçura agreste dos montes do norte. Mais a sul ficam por agora o mar e as areias finas de Odeceixe. A terra solta e quente, plantada de azinheiras e oliveiras. E o perfume tão marcado em nós das estevas, a brilharem como luzes, debaixo do sol imenso. Tudo isso e muito mais aguarda o nosso regresso, em suspenso, como num sonho ou nas páginas escritas de um livro estimado. E mesmo vivendo perto de uma praia urbana, que no auge do Verão palpita de vida e de cor, é a do sul que eu guardo, nas memórias e nas muitas cores de um copo de sangria bem fresca: Espumante rosé, um pouco de cointreau, algumas das minhas frutas preferidas e o perfume cítrico do limonete.
O chamamento do Verão, servido em pequenos goles, fortes, frescos e frutados…
In English
Our August has been made of green nature and hikes in the wild sweetness of the northern hills. Further south stay by now the sea and the fine sands of Odeceixe. The loose and hot soil planted with  holm oaks and olive trees. And so marked in us the perfume of the rock roses, sparkling as lights under the big sun. All this and more awaits our return, in abeyance, as in a dream or in  the written pages of a beloved book. And even while living near an urban beach, that at the height of summer throbs with life and color, is the southern one that I keep, in my memories and in the many colors of a glass of chilled sangria: Spumante rosé, a bit of cointreau, some of my favorite fruits and the citric aroma of verbena.
The call of Summer, served in small sips, strong, fresh and fuity…




Sangria de espumante rosé, cointreau, frutas de verão e limonete

Ao fazer sangria convém lembrar que ela deve ir ao frio muitas horas antes de ser servida, no máximo 24 horas e que durante esse tempo as frutas vão absorver parte da mistura de espumante e cointreau, daí a grande quantidade de líquidos nesta receita. E claro, uma boa sangria deve ser feita com um bom espumante, não vale fazer batota 🙂 A quantidade de fruta fica ao vosso gosto mas deve ser generosa e apesar de eu não ter usado açúcar, podem fazê-lo se acharem que precisa.
Esta receita é para 4 a 6 pessoas.



Ingredientes: 
2 garrafas de espumante rosé de boa qualidade
2 dl de cointreau (licor de laranja)
Uvas brancas inteiras e cortadas ao meio
Amoras silvestres
Ananás cortado em pedaços
Manga cortada em fatias finas
1 dl de sumo de lima
Folhas de limonete

Preparação:
*Num frasco – ou dois – de conservas grande (com tampa de vidro e fecho de metal) junte todos os ingredientes, tape  e leve ao frio até à hora de servir.
*Sirva bem fresca.

Spumante rosé, cointreau, summer fruit and verbena sangria

When making sangria is good to remember that it should be kept in the fridge for several hours before being served, a maximum of 24 hours, and that during that time the fruits will absorb part of the spumante/cointreau mixture, hence the large amount of liquid in this recipe. And last but not least, a good sangria must always be made with a good sparkling wine, cheating is not allowed 🙂 The quantity of fruit I leave to you, but it should be generous and although I didn´t add any sugar to it, you are free to do so, if you think it needs it.
This recipe is for 4 to 6 people.

Ingredients:
1 bottle of good quality spumante rosé
1 dl of cointreau (orange liquor)
White grapes, some whole and some halved
Wild blackberries
Pineaple cut into pieces
Mango cut into thin slices
1 dl lime juice
A few verbena leaves

Preparation:
*Put all the ingredients into a large weck jar ( or two) and keep in the fridge for several hours before serving, 24 hours at the most.
*Serve chilled.

 

 

Naturalmente refrescantes # Naturally refreshing






Tenho passado os dias entre comida. Comida caseira. Comida a sério como eu gosto de dizer. Mas também comida de autor, linda, inventiva, que vai além da fina película que os sentidos captam. Vinhos, queijos, conservas. O melhor que Portugal tem para oferecer. Até aqui nada de novo, a não ser as longas horas entre croquis, pré preparações,  preparações e produções.

Cozinho, outros cozinham para mim. Sonho, crio, imagino. Fotografo. Mas depois vem um dia em que consigo abrandar e deixar que seja eu o objeto a ser contemplado.  E quando finalmente paro, tudo o que quero é simplicidade. Assim como morangos e limonete em estado líquido, efervescente e doce. Simples. Bom. Revigorante. Apenas isso. E dou uso aos muitos frascos que fui guardando ao longo dos anos. E fico num canto da escada do jardim, enquanto os melros e pardais alimentam os seus filhotes no chão, sem me verem.

E deixo-me ficar mais um pouco.
E aproveito para respirar fundo antes de dar um novo mergulho…

In English
I have spent these days among food. Homemade food. Serious food as I like to call it. But also chef´s food, beautiful, inventive, the kind that goes beyond the thin film captured by the senses. Wines, cheeses, preserves. The best that Portugal has to offer. So far nothing new, except the long hours between sketches, pre preparations, preparations, productions.

I cook. Others cook for me. I dream. I create. I imagine. I photograph. But then comes a day when I can slow down and let me be the object to be contemplated. And when I finally stop all I want is simplicity. Like strawberries and lemon verbena, liquid, fizzy and sweet, Simple. Good. Invigorating. Just that. And I give use to the many jars I kept over the years. And I stay in one corner of the garden staircase, while the blackbirds and the sparrows feed their youngsters on the floor, without seeing me.

And I let myself stay a bit longer.
And I take a deep breath, before diving once again…

 

 
Refrescos de morango e limonete


Estes “refrigerantes naturais” são mesmo, mesmo bons. Os morangos combinados com o limonete ficam ótimos e a água com gás dá-lhes ainda mais vida. Delicioso!
É claro que o açúcar pode ser ajustado ao vosso gosto pessoal.

Ingredientes:
300 g de morangos cortados ao meio
100 g de açúcar
2 dl de água
1 haste de limonete
Àgua com gás.
Gelo
Folhinhas de limonete

Preparação:
*Numa caçarola coloque os morangos, o açúcar, a água e o limonete, deixe levantar fervura e mantenha em lume brando por 5 minutos.
*Retire do lume, tape o tacho e deixe assim até arrefecer completamente e os sabores se intensificarem.
*Retire a haste de limonete e triture os morangos com o xarope que se formou, até ficarem em puré.
*Faça os refrigerantes com o seguinte rácio: 1 parte de puré para 1 parte de água com gás.
*Sirva com gelo e folhinhas de limonete.

Strawberry and lemon verbena sodas

These natural sodas are really, really good. The strawberry, lemon verbena combo is just great and the fizzy water complements it perfectly. Delicious!
Needless to say that you can adjust the sugar to your own taste.

Ingredients:
300 g fresh strawberries cut in halved
100 g sugar
2 dl water
1 sprig of lemon verbena
Sparkling water
Ice
Lemon verbena leaves

Preparation:
*Put the strawberries, sugar, water and lemon verbena into a saucepan. Let it come to a boil and simmer for 5 minutes.
*Remove from the heat, cover the saucepan with a lid and let it cool to room temperature, so that the flavors intensify.
*Remove the lemon verbena sprig and blitz the strawberries with the syrup until puréed.
*Make the sodas following the ratio: 1 part fo strawberry purée to 1 part of sparkling water.
*Serve with lemon verbena leaves and ice.