Sopa fria de curgete, pepino e manjericão # Zucchini, cucumber and basil cold soup



Agosto está aqui e com ele a alegria do veraneio em toda a sua glória. Talvez seja uma coisa de vivência acumulada, de pura e simplesmente já não ter pachorra, mas este mês baralha-me a vontade, e se por um lado evito tanto quanto posso embrenhar-me nas praias super lotadas e demais destinos de férias, por outro lado sinto que ainda tenho muito verão para galgar.
Junho e Julho cumpriram bem o seu propósito. Deram-me espaço e tranquilidade para respirar praias e montes entre o norte e o sul, com passagem pela costa da Galiza para esticar o olhar mar adentro numa qualquer esplanada, com uma Estrella Galicia bem fresca, como ancora em terra firme. Pelo meio o meu trabalho, muita terapia de cozinha e clicks na mesma proporção, senão mais, que é como diz o velho ditado: Quem anda por gosto não cansa! E agora Agosto… Este ano, eu e ele, combinamos fazer de tudo para encontar um caminho intermédio. Um pedaço de chão neutro. Nem muito caos, nem muito silêncio. E como cá em casa, antes de tudo o mais, somos aventureiros e andarilhos, ir esta-nos na massa do sangue, sem precisamos de mapas ou planos elaborados. E se tiver de ser em Agosto, pois seja. A vontade e o despredimento são combustível verde que nos leva aonde der a gana.
Mas por enquanto vamos refrescando os dias com uma saborosa sopa fria de curgete, pepino e manjericão, enquanto se vão calcetando outras veredas e marinando outras aventuras fotográficas.

E já agora, este mês poderão encontrar mais um pouco do livro Pratos & Travessas na revista Lux Woman e na revista Prevenir, duas boas companhias para levar para a praia ou para o campo!

E se for o caso boas férias! 🙂

In English
August is here and with it the joy of vacation in all it´s glory. Maybe it´s a thing of accumulated experience, or pure and simply not having the patience but this month shuffles my will and if by one hand I avoid at any cost to embroil myself into the super crowded beaches and other vacation destinations, on the other hand I feel that I still have a lot of Summer to conquer. June and July have fulfilled their purpose. They gave me the space and tranquility to breathe beaches and hills between the north and the south, passing the coast of Galicia and stretch the gaze deep into the sea, in any terrace with a freezing cold Estrella Galicia as an anchor in solid ground. In between my work, a lot of kitchen therapy and camera clicks in the same proportion, if not more, it´s as the old saying goes: Who walks for pleasure doesn´t get tired! And now August… This year we agreed to make the effort to find a middle way. A piece of neutral ground. Not to much chaos, not to much silence. And as here at home, before everything else we are adventurers and wanderers, going is in the mass of our blood and we don´t even need maps or elaborated plans. And if it has to be in August, well be it. The will and the detachment are green fuel that lead us to wherever we want to go.
But for now let´s refresh the days with this tasty zucchini, cucumber and basil cold soup, while we dream about other paths and marinate other photographic adventures.

This month you can find a bit more of  Pratos & Travessas cookbook on Lux Woman and Prevenir magazines, two good companies to take with you to the beach or to the country!

And if it´s the case, happy holidays! 🙂




Nesta sopa fria usei água e não caldo para manter apenas os sabores dos vegetais e erva que entram nela, especialmente a frescura a aroma do pepino e do manjericão.

  • Ingredientes:
    1 kg de curgete com a casca, cortada em pedaços
    2 pepinos médios sem casca, cortados em pedaços
    1 cebola média cortada em pedaços
    2 dentes de alho
    1 molho pequeno de manjericão
    Iogurte grego para servir
    Fio de azeite
    Pitada de pimenta preta
  • Preparação:
    *Coloque todos os ingredientes, menos o manjericão e o pepino, numa panela, encha com água apenas até quase chegar ao nível dos ingredientes, estes não devem ficar cobertos pela água para que a sopa depois não fique aguada, pode juntar mais no fim se achar necessário, tempere com sal e leve ao lume.
    *Coza cerca de 15, 20 minutos, até tudo ficar tenro.
    *Deixe arrefecer até a sopa ficar morna, junte o manjericão e os pedaços de pepino e passe a sopa.
    *Guarde no frigorífico até à hora de servir. Sirva fria com uma colherada de iogurte grego, uma pitada de pimenta preta e um fio de azeite.

In this soup I used water and not broth because I wanted to keep only the taste of the included vegetables and herb, specially the freshness and scent of the cucumber and the basil.

  • Ingredients:
    1 kg zucchini with the peel on and cut into pieces.
    2 medium cucumbers, peeled and cut into pieces
    1 medium onion cut into pieces
    2 garlic cloves
    1 small bunch of basil
    Greek yogurt to serve
    Drizzle of good olive oil
    Pinch of freshly ground  black pepper
  • Preparation:
    *Put all the ingredients into a pan (except for the basil and cucumber), fill with water just enough to barely reach the ingredients, they should not be covered with water to prevent the soup of becoming watery, you can adjust the water at the end, season with salt and take to the heat.
    *Boil for 15 to 20 minutes until tender.
    *Let it cool, add the basil the cucumber and blitz until smooth.
    *Keep in the fridge until serving time. Serve with a dollop of greek yogurt, a pinch of black pepper and a drizzle of olive oil.

 

Sopa de funcho e espinafres # Fennel and spinach soup

Há na terra uma calmaria mágica. Um ritmo diferente que bate compassado, sem pressas, nos recantos mais profundos do coração. Se esse ritmo tivesse cor seria verde, verde como um tapete felpudo de folhas tenras de espinafres, salpicados por gotas de água fresca num qualquer fim de tarde vagaroso.
In English
There´s a magical calmness in the earth. A diferent pace that beats unhurried in the deepest recesses of the heart. If this pace had color it would be green, like a shag rug of tender spinach leaves, sprinkled by drops of fresh water in some leisurely late afternoon.

 

 

 

 

 

 

Ingredientes:
200 g de folhas de espinafres
2 bolbos de funcho cortados em pedaços
2 courgettes médias descascadas
1 cebola média cortada em pedaços
2 dentes de alho
1,5 lt de caldo de vegetais de boa qualidade ou água
2 colheres de sopa de azeite
Sal a gosto
Mozzarella para servir
Pimenta preta acabada de moer para servir

Preparação:
*Numa panela frite a cebola no azeite quente até ficar macia.
*Junte os restantes ingredientes e deixe cozer até tudo estar tenro. Tempere com sal.
*Passe a sopa com a varinha mágica e junte mais caldo ou água se achar necessário.
*Leve de novo ao lume e junte as folhas de espinafres.
*Coza 2 a 3 minutos e sirva com um pedaço de mozzarella e pimenta preta.

Ingredients:
200 g spinach leaves
2 fennel bulbs, cut into pieces
2 zucchinis, cut into pieces
1 medium onion, cut into pieces
2 garlic cloves
1,5 lt of good quality vegetable stock or water
2 tbsp olive oil
Salt to taste
Mozzarella to serve
Freshly ground black pepper to serve

Preparation:
*In a heavy bottomed pan fry the onion in the hot olive oil until soft.
*Stir in the remaining ingredients and cook until tender. Season with salt.
*Blitz the soup and add more stock or water if needed.
*Take to the heat and add the spinach leaves.
*Cook for 2 to 3 minutes and serve with a piece of mozzarella and a bit of black pepper..

 

Sopa de couve flor, cogumelos marrom e tomilho # Cauliflower, cremini mushrooms and thyme soup





Voltei  há uma semana e pouco de uma daquelas viagens únicas que me lavam a alma e deixam de fora da correnteza do tempo. Demorei dias até ter os dois pés novamente fincados no chão e mesmo agora, parte de mim parece ainda estar longe, num lugar intangível, impossível de encontrar num qualquer mapa.

A viagem de regresso a casa começa sempre por ser uma coisa estranha, boa mas ainda assim estranha. Uma mudança brusca de ar e de ritmo. Horas e horas parada, entre estações frias, enfumaçadas e comboios ruidosos, à espera, simplesmente à espera… O desacelerar é lento,  contrafeito e enquanto isso à minha frente desfila o vai e vem dos que chegam e dos que partem, num turbilhão de emoções, riso, choro e também apatia. Valem-me ao menos as saudades imensas dos meus homens mais novos e saber que  todos os desejos de comida caseira, por agora já impossíveis de disfarçar, serão em breve satisfeitos. O que me leva aos crumbles, aos arrozes e claro às sopas, como esta, de couve flor, cogumelos marrom e tomilho. A junção de alguns dos meus ingredientes preferidos numa sopa cremosa, de sabor intenso e reconfortante.

E de volta a casa, mais algumas imagens do Porto 🙂



In English
I´ve just returned from one of those unique trips that cleanse my soul and leave me out of the stream of time. It took me several days to have both feet planted firmly on the ground again and even now I feel that part of me still seems to be far away, in an intangible place, impossible to find in any map.

The homecoming trip starts always by being strange, good but nevertheless strange. A sudden change of air and pace. Hours and hours still, between cold, smoky stations and noisy trains, waiting… I decelerate slowly, while in front of me parades the comings and goings of those arriving and departing in an whirlwind of emotions: laughter, cry, apathy. At least I´m longing to see my younger men and I know that all of my homemade food cravings (by now impossible to disguise)  will soon be satisfied. Which brings me to crumbles, rices and of course soups, like this one, made with cauliflower, cremini mushrooms and thyme. The joining of some of my favorite ingredients in a creamy soup, with intense and comforting flavor.

And back home I took a few more shots of Porto 🙂











Ingredientes:
1 kg de couve flor
150 g de cogumelos marrom
2 batatas médias cortadas em pedaços pequenos
1 cebola média picada
2 colheres de sopa de azeite
Cerca de 1 lt de caldo de vegetais, talvez um pouco mais, de preferência caseiro
Sal a gosto
1/2 colher de sopa de tomilho seco

Preparação:
*Aqueça o azeite numa panela grande e frite a cebola até ficar translúcida.
*Junte a couve cortada em pedaços, as batatas, os cogumelos, sal a gosto e o tomilho. Junte caldo de vegetais, o suficiente para apenas cobrir os vegetais e deixe ferver até tudo estar cozido, cerca de 15 minutos.
*Esta sopa deve ficar cremosa, começe por juntar pouco líquido e no fim, se depois de passada ficar muito consistente junte mais um pouco a gosto.
*Passe a sopa com uma varinha mágica.
*Sirva com tiras de pão torrado, salpicadas com azeite.

Ingredients:
1 kg cauliflower
150 g cremini mushrooms
2 medium potatoes, cut into small pieces
1 medium onion, chopped
1 lt of vegetable stock, maybe a bit more, homemade is best
Salt to taste
1/2 tbsp dry thyme

Preparation:
*Heat the oilve oil in a big heavy bottomed pan and fry the onion until translucid.
*Strir in the cauliflower cut into pices, the potatoes, the mushrooms, salt to taste and the thyme. Add the stock, just enough to barely cover the veggies and bring to a boil. Cook until tender, about 15 minutes.
*This is a creamy soup, so start by adding a small amount of stock and in the end, when you blitz it and if it´s to thick add a bit more liquid to taste.
*Remove from the heat and blitz until velvety.
*Serve with stripes of toasted bread, drizzled with olive oil.