Pudim Abade de Priscos






Ontem o João fez anos!

Se há celebração, há comes e bebes e como eu não perco uma oportunidade de fazer a festa. Sendo assim, tratei de fazer um mini banquete para 7 pessoas.
Cogumelos portobello recheados para entrada, lombo de porco assado com hortelã e batatas assadas com alecrim e massa de pimentão para prato principal, ( acompanhados de salada verde ) e para sobremesa tivemos uma aletria especial e pudim do Abade de Priscos e claro la pièce de resistence, o bolo de aniversário.
Nos próximos dias, vão poder ver aqui no Pratos, o cortejo do pecado da gula . Sejam bem-vindos ao “Banquete”!

O pudim do Abade de Priscos, é mais uma referência da nossa doçaria dita conventual.
O Abade de Priscos que era natural de Vila Verde ( Braga ) e que faleceu em 1930, tinha um talento natural para as artes e mistérios da cozinha. Era um cozinheiro de renome, chegando a fazer o banquete para o rei D. Luís I e a família real aquando da sua visita ao norte do país em 1887.
Este pudim é rico, aromático e com textura de veludo.
Uma pérola da nossa gastronomia, que nos mostra a genialidade culinária deste Abade que não temia o pecado da gula.

Pudim Abade de Priscos


Ingredientes:
400 gr. de açúcar
50 gr. de toucinho fresco
15 gemas passadas por coador
5 dl. de água
1 cálice de vinho do Porto
1 casca de limão
1 pau de canela
Caramelo feito com 200 gr. de açúcar e 200 ml. de água

Preparação:
Faz-se o caramelo, pondo num tacho o açúcar ( 200 gr. ) e a água (200 ml). Leva-se ao lume sem mexer até começar a escurecer. Quando estiver na cor que preferir ( há pessoas que gostam do caramelo mais escuro, outras mais claro ), verta sobre a forma de pudim, com cuidado para não se queimar . Espalhe bem o caramelo pelas paredes da forma, retire o excesso e reserve a forma.

Num tacho, ponha o açúcar (400 gr. ), a água, a casca de limão, o pau de canela e o toucinho cortado em tiras pequenas. Deixe ferver até atingir ponto de fio ( 103º, ou quando ao pôr uma gota de calda entre os dedos, polegar e indicador, se formar ao afastar os dedos, um fio sem grande resistência ). Deixe arrefecer a calda fora do lume. Separe as gemas das claras e passe as gemas por um coador para tirar os resíduos das claras. Junte o vinho do Porto às gemas e misture bem. Junte a calda à mistura de gemas, mexa e ponha na forma, tape e leve a cozer em  banho maria e em lume forte, durante 35 m. Vigie para que repor a água que evapora com a força do lume . Quando estiver pronto, retire a forma da água, deixe arrefecer e leve ao frio. Só pode desenformar o pudim depois de este ter ido ao frigorífico por algumas horas. Para desenformar, passe uma faca pelas paredes da forma e vire a forma em cima de um prato.
* Receita do livro “Cozinha tradicional portuguesa”.
Anúncios

17 thoughts on “Pudim Abade de Priscos

  1. Todos os anos há um concurso em Braga para premiar o melhor pudim de abade de priscos, este ano a minha avó concorreu e ficou em 3º lugar :)É um concurso impróprio para gulosos eheheJá fiquei de água na boa ao ver o seu e lembrar o sabor. Nunca fiz em casa porque é muito trabalhoso e tenho receio de não acertar no “ponto”. Assim, quando vou a Braga, mato saudades com o pudim feito pela avó 🙂O seu está com um aspecto fantástico!Beijinhos

    Gostar

  2. Sem duvida que o abade era um talentoso doceiro.Este pudim que pela adição do toucinho causa estranhesa a quêm nunca o provou, é uma delicia.Aguardo com curiosidade o desfile de delicias do banquete.Bjs

    Gostar

  3. Pipoka, tens razão, é mesmo uma bomba calórica, para comer só quando o rei faz anos ou neste caso quando o chefe faz anos! he heBjinhosNatércia, que bom que gostaste, se eu pudesse mandava-te uma fatia.BjinhosFilipa, obrigada e bjinhos.Janeca, que bom que gosta desta cozinha, obrigada e bjinhosMartuxa, ter uma avó assim é ter um tesouro. Adoro as histórias e receitas que as avós nos transmitem. Estou sempre a “chatear” a minha, ( já só tenho uma), que já tem 80 anos, para me contar as histórias dela, principalmente as de Angola, onde ela viveu durante uns anos.BjinhosMarizé, era sem dúvida um abade talentoso e guloso, porque para criar uma receita assim, é preciso ser também guloso ( abençoado abade!). BjinhosEliana, é realmente um pecado. BjinhosMárcia, para mim são dos melhores do mundo. BjinhosCupido, tens toda a razão.É um dos tesouros da nossa doçaria tradicional.

    Gostar

  4. Tenho uma pergunta sobre esta receita que nunca tive a coragem de fazer. O toucinho, é so gordura ou também tem carne? E vai tudo para o pudim? Nunca percebi esta parte mas um dia gostava de tentar. Obrigada,

    Adelina Marghidan

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s