Tarte de nectarinas, coco e amêndoa (sem glúten, lacticínios ou açúcar) # Nectarine, coconut and almond tart (glúten, sugar and dairy free)

 

No início do Verão passei uma semana a caminhar pelo Caminho Inglés para Santiago, na Galiza. Saíamos de manhã bem cedo e tudo o que fazíamos durante a maior parte do dia era simplesmente caminhar. Caminhar, olhar, ouvir, cheirar, sentir. Um mergulho de cabeça na natureza e no seu ritmo. Lembro-me das espigas douradas e ondulantes nos campos de trigo mas especialmente dos pessegueiros e nectarineiras nas hortas. Os pequenos frutos ainda verdes sob o calor do sol, à espera pacientemente de ganhar corpo e sabor para perfumarem o mesmo caminho que outros iriam então percorrer.

Desde aí tenho andado a “amadurecer” esta tarte que tem tanto de simples como de fresca e saudável. Sem glúten, sem lacticínios, sem açúcar. Um recheio que lembra um pudim de fruta com travo tropical numa base crocante de amêndoa. Levou algum tempo mas ela aqui está!

Afinal de contas é tal como se costuma dizer: Coisas boas vêm para aqueles que sabem esperar 😉

 

In English

Early in the summer I spent a week walking the English Way to Santiago, Galicia. We left early every morning and all we did for most of the day was simply walking. To walk, look, listen, smell, feel. A head dip in nature and in it´s rhythm. I remember the golden, undulating ears in the wheat fields, but especially the peach and nectarines trees in the gardens. The small fruits still green under the warmth of the sun, waiting paciently  to gain body and flavor to perfume the same path that others would then walk.

Since then I have been “maturing” this tart that is altogether simple, fresh and healthy. Gluten free, dairy free, sugar free. A filling reminiscent of a tropical-flavored fruit pudding on a crunchy almond base. It took some time but here it is!

After all you know what they say: Good things come to those who wait 😉

 

 

 

Ingredientes:

Base:

  • 150 g de amêndoas sem pele
  • 3 colheres de sopa de óleo de coco
  • 4 tamaras grandes (de preferência medjool), sem caroço e cortadas em pedaços

Recheio:

  • 1 kg de nectarinas, lavadas, descascadas, sem caroço e cortadas em pedaços
  • 250 ml de leite de coco light
  • 2 a 3 colheres de sopa de stevia branca (ou a gosto)
  • 10 folhas de gelatina

 

Preparação:

  1. Se usar tamaras medjool não precisa de as demolhar em água pois são muito macias, mas se usar outro tipo de tamara mais dura demolhe por 30 minutos em água.
  2. Num processador triture as amêndoas, com o óleo de coco e as tamaras. A mistura deve ficar granulada e não totalmente desfeita.
  3. Forre a base de uma forma de fecho e fundo falso de 18 cm de diâmetro com a massa e com a ajuda do fundo de uma colher alise e pressione bem.
  4. Coloque a forma no congelador enquanto prepara o recheio.
  5. Para fazer o recheio coloque as nectarinas, o leite de coco e a stevia num liquidificador  e faça em puré. Ajuste a stévia a gosto.
  6. Coloque as folhas de gelatina a demolhar em água fria.
  7. Passe o puré por um coador  e depois leve ao lume mas sem deixar ferver. Assim que estiver bem quente, tire do lume e junte as folhas de gelatina bem espremidas. Mexa muito bem para dissolver a gelatina.
  8. Deixe arrefecer e depois verta a mistura na forma que guardou no congelador. leve ao frigorífico até ficar firme, nunca menos de 3 horas.

 

Ingredients:

For the base:

  • 150 g almonds without skin
  • 3 tablespoons coconut oil
  • 4 large dates (preferably medjool), pitted and cut into pieces

For the filling:

  • 1 kg of nectarines, washed, peeled, pitted and cut into pieces
  • 250 ml of light coconut milk
  • 2 to 3 tablespoons of white stevia (or to taste)
  • 10 sheets of gelatin

 

Preparation:

  1. If you use medjool dates you do not need to soak them in water as they are very soft, but if you use another type of harder date, you should soak tehm for 30 minutes in water.
  2. In a processor, crush the almonds with the coconut oil and the dates. The mixture should be granulated and not completely pulverized.
  3. Line the bottom of a springform cake tin with 18 cm in diameter with the dough and with the help of the bottom of a spoon flat it and press well.
  4. Place the tin in the freezer while preparing the filling.
  5. To make the filling, place the nectarines, coconut milk and stevia in a blender and puree. Adjust the stevia to taste.
  6. Put the gelatin sheets to soak in cold water.
  7. Pour the puree through a strainer and then take to the heat, but don´t let it come to a boil. Once it is very hot, remove from the heat and add the squeezed gelatin sheets. Stir well to dissolve the gelatin.
  8. Let it cool and then pour the mixture into the form stored in the freezer. Refrigerate until firm, never less than 3 hours.

 

Castanholas em molho de tomate, bacon e coentros # Clams in a tomato, bacon and coriander sauce

 

Agora que a maioria da raça humana debandou para um qualquer destino solarengo e super povoado, onde antes havia ruído, trânsito e frenesim, só ficou uma tranquilidade rara que apetece abraçar.

Tenho cozinhado bastante. Não tanto para o blogue quanto gostaria, mas sim para outros trabalhos.

Agosto é para mim maioritariamente um mês de trabalho, e felizmente os dias têm sido amenos, o que mantém a minha cozinha dentro de uma temperatura humanamente tolerável e recetiva a atividade de forno, o que tem acontecido bastante.

Eu prefiro outros meses para “veranear” mas há detalhes que me lembram o lado brando do mês e da estação. Aquela coisa de sentir o cheiro a férias em cada partícula do ar, e na tal tranquilidade que não se sente durante o resto do ano. Um abrandamento impossível de ignorar mesmo estando no ativo. E mesmo que eu não vá atrás do Verão ele arranja sempre forma de me encontrar. Tenho comido os melhores tomates coração de boi. Vermelhos e doces à força de tanto sol. Daqueles que ainda têm o dom de perfumar o ar. Muitas das vezes só com azeite e vinagre. Muitas outras em arrozes, gaspachos e estufados, e desta vez numas carnudas ameijoas castanholas, improvisadas no final de Domingo.

 

In English

Now that most of the human race has flown to any sun-drenched and super-populated destination, suddenly, where before there was noise, traffic, and frenzy, remained only a rare tranquility that one feels inclined to embrace.

I’ve been cooking a lot. Not as much for the blog as I would like, but for other works.

August is for me mostly a month of work, and fortunately the days have been mild, which keeps my kitchen within a human tolerable temperature and receptive to oven activity, which has happened a lot.

I prefer other months to “summer” but there are details that remind me of the mild side of the month and season. That thing of smelling the holiday scent in every particle of the air, and in that tranquility you do not feel during the rest of the year. A slowdown impossible to ignore even while working. And even if I do not go after summer it always finds a way to find me. I have eaten the best ox heart tomatoes. Red and sweet by the force of so much sun. The kind that still have the gift of perfuming the air. Often only with olive oil and vinegar. Many others times in rices, gaspachos and stews, and this time in these fleshy  clams, improvised last Sunday.

 

 

Marisco, qualquer tipo de marisco faz parte da essência do Verão. Esta é uma receita simples, com ingredientes bem portugueses que traz para a mesa aquela satisfação colorida que se espera desta estação, mesmo não estando de férias 🙂

 

Ingredientes:

  • 1 kg de castanholas previamente lavadas
  • 3 tomates grandes, bem maduros
  • 2 colheres de sopa de bacon cortado em tiras finas
  • 200 ml de vinho verde branco
  • 1 cebola média cortada em rodelas finas
  • 2 dentes de alho laminados
  • 3 colheres de sopa de azeite de boa qualidade
  • Coentros frescos a gosto
  • Sumo de lima a gosto

 

Preparação:

  1. Corte os tomates em pedaços pequenos, com a pele e as sementes também.
  2. Refogue a cebola no azeite quente até ficar transparente. Junte o alho e o bacon e mexa, frite por 1 minuto.
  3. Junte os tomates, mexa e deixe cozinhar por 3 minutos.
  4. Junte as castanholas, os coentros e regue com o vinho.
  5. Cozinhe em lume médio por 25 minutos (estas ameijoas têm uma concha muito espessa e são bastante carnudas daí precisarem de mais tempo de cozedura) com o tacho tapado.
  6. Salpique com um pouco de sumo de lima antes de servir.

 

 

Seafood, any type of seafood is part of the essence of summer. This is a simple recipe, with Portuguese ingredients that brings to the table that colorful satisfaction that is expected of this season, even when not on vacation 🙂

 

Ingredients:

  • 1 kg of previously washed clams
  • 3 large, ripe tomatoes
  • 2 tablespoons of bacon cut into thin strips
  • 200 ml white wine
  • 1 medium onion, thinly sliced
  • 2 cloves of garlic thinly sliced
  • 3 tablespoons of good quality olive oil
  • Fresh coriander to taste
  • Lime juice

 

Preparation

  1. Cut the tomatoes into small pieces, with the peel and the seeds included.
  2. Sauté the onion in the hot oil until it is transparent. Add garlic and bacon and stir, fry for 1 minute.
  3. Add the tomatoes, stir and cook for 3 minutes.
  4. Add the clams, coriander and drizzle with the wine.
  5. Cook over medium heat for 25 minutes (these clams have a very thick shell and are big and meaty, so they need more time to cook) with the covered pan.
  6. Serve with a drizzle of lime juice.

 

 

 

 

 

Gaspacho de tomate, physalis e manjericão # Tomato, physalis and basil gazpacho

 

 

O Verão tem um jeito muito próprio de amaciar os dias.

Tenho vindo a aprender a gostar desta estação. Não vivo para vê-la chegar. Eu sou mais de Primaveras e Outonos. Equilíbrio é o que procuro em todas as vertentes da vida, até porque o calor excessivo, praias super lotadas e outros detalhes que a definem não são para mim,  mas ano após ano tenho vindo a valorizar outros aspetos. A luminosidade. A brisa que sustenta todos os perfumes que se soltam com o calor do sol. A pujança doce e colorida das ervas, flores, frutos e árvores.

Este é o meu Verão. A natureza em toda a sua maravilhosa glória. E os frutos que tão generosamente me (nos) dá.

Tomates e physalis. A nossa horta emprestada tem vindo a produzir uma deliciosa colheita. Sabiam que estes dois frutos são, por assim dizer, primos? Sim, os tomates são frutos, não vegetais, tal como os physalis, aquelas bolinhas brilhantes e alaranjadas, carregadas de várias vitaminas do tipo A e vitamina C e com poderes antioxidantes já que são ricas em betacaroteno. Já os tomates não lhes ficam nada atrás em nutrientes super para o corpo. Vitaminas A, B e C, fósforo, cálcio, potássio e magnésio e licopeno, um antioxidante que também faz maravilhas.

Nas últimas semanas tenho comido quantidades copiosas dos dois, especialmente em estado cru, em saladas e em estado liquido, em batidos para o pequeno almoço e gaspachos rápidos, refrescantes e super nutritivos, tal como este que vos ofereço hoje, aqui.

Experimentem e vão ver que é uma das formas mais rápidas e super saborosas de saborear a essência do Verão.

 

In English

Summer has a very own way of softening the days.

I’ve been learning to like this season. I do not live to see it´s arrival. I am more of Spring and Autumn. Balance is what I look for in all aspects of life, even because the excessive heat, overcrowded beaches and other details that define it are not for me, but year after year I have come to appreciate other aspects. The luminosity. The breeze that sustains all the perfumes that are released with the heat of the sun. The sweet and colorful power of herbs, flowers, fruits and trees.

This is my summer. Nature in all its wonderful glory. And the fruits that it so generously give me.

Tomatoes and physalis. Our borrowed vegetable garden has been producing a delicious harvest. Did you know that these two fruits are, so to speak, cousins? Yes, tomatoes are fruits, not vegetables, like physalis, those bright orange balls loaded with various types of vitamins A and vitamin C and with antioxidant powers since they are rich in beta-carotene. Tomatoes are also loaded with super nutrients for the body. Vitamins A, B and C, phosphorus, calcium, potassium and magnesium and lycopene, an antioxidant that also works wonders.

In recent weeks I have eaten copious amounts of the two, especially in the raw state, in salads and liquid state, in shakes, and quick, refreshing and super-nourishing gazpachos, such as the one I offer you here today.

Try it and you will see that it is one of the fastest and super tasty ways to savor the essence of summer.

 

 

 

Ingredientes:

  • 700 g de tomates maduros sem pele nem sementes e cortados em pedaços
  • 200 g de physalis cortados ao meio
  • 3 dentes de alho esmagados
  • 10 folhas grandes de manjericão
  • 200 a 300 ml de água, ou mais se achar necessário
  • Sal a gosto
  • Pimenta preta a gosto

 

Preparação:

  1. Para pelar os tomates faça um corte em cruz no topo de cada um e mergulhe-os por 3 minutos em água fervente.
  2. Deixe arrefecer um pouco e tire a pele que agora deverá sair facilmente.
  3. Coloque todos os ingredientes num liquidificador e triture até que fiquem em puré. Junte mais água se achar necessário.
  4. Retifique os temperos.
  5. Sirva bem frio, como entrada.

 

 

Ingredients:

  • 700 g ripe tomatoes, peeled and desseded, cut into pieces
  • 200 g of physalis cut in half
  • 3 garlic cloves mashed
  • 10 big basil leaves
  • 200 to 300 ml of water
  • Pinch of salt
  • Black pepper to taste

 

Preparation:

  1. To peel the tomatoes make a cross shape cut on top of each one and dip them in boiling water for 3 minutes.
  2. Let it cool a bit and remove the peel will now come out easily.
  3. Put all the ingredients inside a blender and blitz until smooth and velvety, add more water if needed.
  4. Check the seasonings.
  5. Serve cold as a starter.