Baklawá

Andava há imenso tempo para experimentar este pequeno doce tão rico e aromático, que para mim tem tanto em comum com a doçaria tradicional portuguesa. A presença do mel, da canela, dos cravinhos, das amêndoas e nozes, que fazem parte de tantos doces portugueses e a massa fillo, que a mim me lembra os deliciosos pastéis de Tentúgal. Por tudo isto, queria muito experimentá-lo e a deixa para o fazer, foi o almoço de domingo passado. Muitas vezes, ao experimentar doces tradicionais de outros países, e quem diz doces diz salgados, depois de provar, chego à conclusão de que não vale a pena voltar a fazer. Com o Baklavá isso não aconteceu, é um doce que me deixa com vontade de repetir, apesar de não ser muito aconselhável repeti-lo muitas vezes seguidas, pois é muito rico e doce.
Para mim, é ideal para um almoço ou jantar de amigos ou de festa, em que depois de uma refeição farta, sabe bem um doce bem aromático para limpar o palato.
Apesar de este doce existir em vários países como a Turquia e o Líbano, esta receita é a versão grega.

Ingredientes:
100 gr. de amêndoas ou nozes ou pistachios, ou uma mistura dos três, triturados grosseiramente.
8 colheres de sopa de pão ralado
8 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de chá de canela em pó
250 gr. de manteiga derretida
1 embalagem de massa fillo

Para a calda:
1 litro e meio de água
200 gr. de açúcar
200 gr. de mel
2 cravinhos
1 pau de canela
Sumo de um limão

Preparação:
Misture os frutos secos com o pão ralado, a canela em pó e o açúcar. Derreta a manteiga.
Pré-aqueça o forno a 180º, marca 4 do fogão a gás.
Use uma forma mais ou menos do tamanho das folhas de fillo. Eu usei uma forma rectangular. Unte bem a forma, com manteiga. Pincele com manteiga derretida, duas folhas de fillo separadamente, ( as folhas de fillo, têm que ser pinceladas com manteiga nos dois lados) e ponha-as uma por cima da outra, na forma. Ponha recheio de frutos secos por cima, em camada fina e cubra com mais uma folha de fillo bem pincelada com manteiga, cubra novamente com o recheio e cubra com mais uma folha de massa bem pincelada de manteiga, continue este processo até acabar o recheio. Cubra a última camada de recheio com 3 folhas de fillo bem pinceladas com manteiga, sobrepostas umas nas outras. Pincele a superfície do doce com mais manteiga, corte as sobras de massa nas bordas da forma e corte a superfície, dando-lhe o formato característico do Baklavá, como pode ver na foto . Borrife com um pouco de água e leve ao forno por 30 a 35 minutos até ficar dourado, cuidado para não queimar!
Para fazer a calda, num tacho ponha a água a ferver com o açúcar, deixe ferver por 5 minutos e junte o mel, a canela e os cravinhos, deixe ferver uns 10 ou 15 minutos e retire as especiarias, junte o sumo do limão, deixe levantar fervura, retire do lume e deixe arrefecer.
Para verter a calda sobre o doce, há um pormenor a ter em conta,  tem que ser com o doce quente e a calda fria ou vice-versa, para que o doce não fique demasiado ensopado, espalhe a calda com a ajuda de uma colher. Molhe bem o doce com a calda mas provavelmente, não vai precisar de a usar toda.

Advertisements