Frittatas de amaranto e ricotta # Amaranth and ricotta frittatas

 

Sábado de manhã. A feira está como sempre, apinhada de gente e eu vou passando com pressa pelas bancas de roupa e todo o tipo de artigos de contrafação, para finalmente chegar à primeira das três ruas onde se vendem os vegetais, enchidos, queijos e alguns frutos. A feira para mim começa sempre aqui.

Já conheço as bancas de cor e salteado e as caras por trás delas também. A senhora dos alhos é a primeira que encontro sempre, com as réstias de alhos raiados a rosa que eu acho tão bonitos. Mais à frente a senhora das folhas verdes: agriões, alfaces de várias cores/ feitios e espinafres. Ao chegar à banca dos enchidos é como encontrar um fumeiro no meio de uma horta. Caminha-se por entre cheiros verdes e doces e de repente o aroma dos presuntos, chouriços e salpicões. Não há como lhe ficar indiferente. E depois há a banca do casal de lavradores onde desta vez encontrei molhos de amaranto. Nunca tinha visto nada igual e assim que perguntei que folhas eram aquelas fiquei a saber que lhe chamam farinhotos (à falta de melhor, penso eu, porque é o mesmo nome que se dá à tripa enfarinhada!)  e que normalmente quem as compra é um casal indiano que lhes tinha dado as sementes.

” E como é que as cozinham?”  – Perguntei eu.
Da resposta fiquei a saber que os lavradores não conheciam  muito bem o que tinham em mãos. Aquilo era apenas mais uma erva que nascia “para lá” à qual, assim de repente, deram o nome de “farinhoto” e que, vai-se lá saber porquê, agradava bastante aos indianos. O preço de cada molho era irrisório e como do casal indiano nem sinal, acabei eu por comprar a remessa de “farinhotos” propostos a um preço ainda mais baixo, assim a modos de forma de agradecimento por este casal de portugueses ter caído do céu quando já nada era esperado. Ainda assim prometi que lhes daria notícias e que a coisa a correr bem, talvez  houvesse também um casal de portugueses na corrida aos “farinhotos”!

De volta a casa comecei sem saber muito bem o que fazer com as folhas. Uma sopa? Salteadas com azeite e alho? Uma tarte salgada? No fundo podia usá-las como qualquer outra folha verde cozinhada. Depois lembrei-me de uma receita simples que aqui todos gostam de ter como snack. Ideal para pegar ao passar e seguir caminho. As frittatas.

Mini frittatas de amaranto e ricotta… No próximo Sábado, tal como prometido, lá irei à feira dar notícias e fazer o anúncio:
É oficial! Este casal de portugueses está decididamente na corrida aos “farinhotos”!… Abram alas!

In English
Saturday morning. The farmers market is crowded as usual and I´m rushing through stands of clothes and all kinds of counterfeit items, to finally reach the first of the three streets where vegetables, sausages, cheeses and some fruits are sold. For me the farmers market starts here.

I already know the stands by heart and the faces behind them too. The lady that sells garlic is the the first one    I always see, with the bunches of pink veined garlic that I find so beautiful. Ahead is the lady of the green leaves: Watercress, lettuces of various colors and shapes and spinach. Upon arriving at the sausages stand is like finding a smokehouse in the middle of a big kitchen garden. You walk through the green, sweet scents and suddendly the delicious aromas of smoked ham, chouriços and sausages. It´s impossible to stay aloof. And then there is the stand of the  couple of farmers where I found these bunches of amaranth. I had never seen anything like it, so I asked what kind of leaves were those, and I came to know that they call it “farinhotos” (for lack of a better name I guess, because that´s the same name given to the floured tripe, which is a portuguese traditional type of sausage) and that it´s usually bought by an Indian couple, who gave them the seeds in the first place.

“And how do you cook it?” I asked.
From the answer I came to know that the farmers knew almost nothing about it. It was just another herb,   that  sprouted “wherever”, to which out of nowhere they called “farinhoto” and that for some unexplicable reason was very appealing for the Indian people. The price of each bunch was derisive and as there was no Indian couple in sight, I ended up buyng a remittance of “farinhotos”, proposed at an even lower price, as a way of thanking for the portuguese couple that seemed almost “fallen from the sky” when nothing was already expected. Still I promised I would give them some cooking news, and all going well, maybe there would also be a portuguese couple in the race for “farinhotos”.

Back home I didn´t really know what to do with the leaves. A soup? Sautée them with olive oil and garlic? A savoury tart? I could use them as any other cooked green leaf. Then I remembered a simple recipe that all of us here at home like to have as a snack. Ideal to grab a piece on our way to wherever we must go: The frittatas.

Amaranth and ricotta mini frittatas… Next Saturday, as promised I will go to the farmers market to give some cooking news and to make the annoucement:
It´s oficial! This portuguese couple is definitely in the race for “farinhotos”!… Make way!

Frittatas de amaranto e ricotta
As folhas de amaranto são ricas em vitaminas A e C e vários minerais e o sabor é muito parecido com o das acelgas. Tudo boas razões para as incluir na lista de vegetais a consumir cá em casa e quem sabe nas vossas casas também!
Ingredientes: 12 mini frittatas
11 ovos
200 g de folhas de amaranto
100 g de ricotta
50 g de queijo da ilha
1 cebola média picada
2 colheres de sopa de azeite
sal, pimenta preta e noz moscada a gosto
Preparação:
*Comece por pincelar uma forma de muffins (de 12) com azeite.
*Coza as folhas de amaranto em água temperada com sal durante 5 minutos (contando a partir do momento em que a água começa a ferver).
*Escorra as folhas e reserve.
*Pré aqueça o forno a 200º, marca 6 do fogão a gás.
*Refogue a cebola no azeite quente até ficar macia e transparente, tire do lume e reserve.
*Bata os ovos, junte o ricotta, as folhas de amaranto bem espremidas, o queijo da ilha e mexa. Junte a cebola com o azeite onde refogou e tempere com sal, pimenta e noz moscada. Mexa bem.
*Distribua a mistura pelas 12 cavidades da forma quase até ao cimo e leve ao forno por 15 minutos, até as frittatas tufarem e ficarem firmes.
*Tire do forno e deixe arrefecer. As frittatas vão murchar mas é mesmo assim.
*Sirva com uma salada ou outro acompanhamento a gosto.
Amaranth, ricotta mini frittatas
 
Amaranth leaves are filled with vitamin A and C and several minerals and the flavor is similar to the chard. All good reasons to include them in our list of vegetables to eat, and who knows your´s too!
 
 
Ingredients: 12 mini frittatas
11 eggs
200 g amaranth leaves
100 g ricotta cheese
50 g portuguese queijo da ilha
1 medium onion, chopped
2 tbs olive oil
Salt, black pepper and nutmeg to taste
Preparation:
*Start by brushing a muffin tin with olive oil.
*Cook the amaranth leaves in salty water, for about 5 minutes after it starts boiling.
*Drain the leaves, let them cool and squeeze the excess water. Reserve.
*Preheat the oven to 200º, 400F, gas mark 6.
*Fry the onion in the hot olive oli until soft and translucent, remove from the heat and keep near.
*Beat the eggs, add the ricotta, the amaranth leaves, ilha cheese and mix.
*Stir in the fried onion and the olive oil and season with salt, black pepper and nutmeg.
*Fill each cavity of the muffin tin with the mixture almost to the top an take to the oven for about 15 minutes until the frittatas puff up and become firm.
*Remove from the oven and let them cool a bit. They will shrink which is fine. Unmold and serve with a salad or any other side dish you prefer.

 

Anúncios

5 thoughts on “Frittatas de amaranto e ricotta # Amaranth and ricotta frittatas

  1. que engraçado, tenho desta erva a crescer lá pelo meio da horta e acho-a uma praga porque apareceu sem ter sido convidada e porque eu não sabia o que era. Agora talvez lhe dê novo uso (além da caixa do composto 🙂 )

    Gostar

  2. Se os indianos descobrem, ainda vos acertam o passo por causa dos farinhotos :p

    Estou curiosa. Acho que nunca encontrei folhas de amaranto e como nunca comi acelgas, estou completamente no escuro quanto ao sabor… A ver vamos, se os farinhotos se cruzam no meu caminho. Ou isso pu tenho que ir contigo à feira, assim como guarda-costas para vos proteger do casal de indianos 🙂

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s