Feijoada de polvo

A cozinha cá de casa viveu um fim de semana de experimentalismo gastronómico.
A Sexta-feira foi dedicada à descoberta de mais um restaurante nacional. Percorri centenas de quilómetros para abrir horizontes ao palato mas da experiência não ficou uma boa impressão e por isso mesmo não tenho muito mais a dizer.
Eu gosto de divulgar o que é bom e positivo nas comidas do nosso país, não me importo nada em fazer publicidade a espaços, produtos e terras,  principalmente quando se trata da divulgação da nossa gastronomia. Já dizer mal, não obrigada! Gostos não se discutem e eu não sou crítica gastronómica nem tenho pretensões a esse “cargo”. Quando não gosto não falo.
Sábado e Domingo foram dedicados à família. Entre a ida semanal ao futebol, à piscina e uma visita ao Parque da Lavandeira, as horas foram passando, intercaladas por incursões na cozinha a experimentar comidas e temperos, acompanhados de goles de vinho tinto – mas poucos- não fosse o “tinto” tecê-las e das experiências não restar memória!
A feijoada de polvo foi o ponto final de uma série de petiscos que cozinhei durante o fim-de-semana. Juntei todos os ingredientes, cada um a seu tempo e na medida certa. Deixei que a magia das horas fizesse a sua parte e hoje, ao almoço, os sabores saltavam do prato, em garfadas cheias de  aromas e sensações.

Ingredientes:
Polvo
3 tomates médios, maduros, sem pele e sem sementes
3 colheres de sopa de azeite
1 cebola média picada
500 gr. de feijão vermelho seco
1 folha de louro grande
2 dentes de alho
1 colher de sopa de pimentão doce/colorau
Sal
Pimenta preta acabada de moer
1 ramo de coentros

Preparação:
*No dia anterior, deixa-se o feijão de molho em água fria.
*No dia seguinte, coze-se o feijão mas sem deixar cozer por completo, só até começar a ficar tenro, porque ele ainda vai acabar de cozer com o polvo e demais temperos. Guarda-se a água da cozedura.
*Coze-se o polvo ( o tamanho ou a quantidade a usar na feijoada fica ao critério de cada um), num pouco de água à qual se junta uma cebola descascada e inteira. Coze-se em lume lento com o tacho tapado, até ficar tenro.Guarda-se a água da cozedura e a cebola cozida.
*Faz-se um refogado com a cebola picada, o louro e os dentes de alho picados, assim que ficar bem louro, junta-se um pouco da água da cozedura do polvo e um pouco da água de cozedura do feijão.
*Corta-se o polvo em pedaços e junta-se à calda, faz-se o mesmo aos tomates.
*Junta-se a cebola que cozeu com o polvo que entretanto se desfez com a ajuda de um garfo.
*Tempera-se de sal e pimenta a gosto.
*Junta-se o feijão e o colorau, deixa-se ferver em lume não muito forte, até o feijão acabar de cozer.
*Se achar necessário, junte mais um pouco das águas de cozer o polvo e o feijão.
*Eu sirvo esta feijoada com uma boa dose de coentros picados.
*Como todas as feijoadas no dia seguinte ainda está melhor.
*Se a congelar para comer passado algum tempo, ela vai apurar e ficar ainda mais saborosa.

Advertisements